Idoso lendo

A melhor idade: 5 dicas para melhorar a qualidade de vida dos idosos

A velhice não precisa ser triste e cheia de problemas, ela pode ser a melhor idade! Acompanhe nosso artigo e descubra como ajudar os idosos a terem mais qualidade de vida.

 

5 dicas para melhorar a qualidade de vida dos idosos

 

Apesar de serem vistos como frágeis e pessoas que necessitam de muitos cuidados, atualmente existem inúmeras maneiras de ajudar nossos velhinhos a terem mais independência e qualidade de vida.

Segundo uma projeção feita pela ONU, a expectativa de vida no Brasil subirá de 74,9 anos para 81,2 anos até 2050. Isso acontece porque a medicina tem avançado bastante, assim como a renda, escolaridade, saneamento e, é claro, cuidados que vêm sendo tomados com a saúde.

Abaixo, algumas dicas valiosas que podem ajudar – e muito – a melhorar a qualidade de vida nossos idosos. Vamos lá?!

 

1) Praticar exercícios físicos

Pode parecer clichê, afinal, essa é uma dica que todo mundo já ouviu falar, né? Mas é sempre bom reforçar que a prática de atividades físicas é extremamente importante não só para os jovens, mas também para os idosos.

Praticar exercícios físicos na terceira idade pode ajudar na redução de problemas físicos causados pelo tempo, como perda do equilíbrio, músculos fracos, perda de agilidade motora, flexibilidade e resistência muscular.

Se acompanhado por um profissional, o idoso pode praticar atividades como alongamento, caminhada e até mesmo esportes! Mas é claro que antes de sair por aí fazendo diversas atividades, é importante levar em consideração as orientações de médicos para que, se for o caso, ele tenha cuidados e exercícios personalizados.

 

2) Cuidar da alimentação

Ter uma alimentação balanceada é essencial para manter a saúde dos nossos velhinhos sempre em dia. Para isso, é sempre importante contar com o auxílio de nutricionistas.

Alimentos como peixes e frutos do mar, por exemplo, são ricos em ácidos graxos e ômega-3, características que ajudam a reduzir problemas com hipertensão e doenças cardíacas. Já alimentos ricos em vitamina D, presente em ovos, cogumelos, leites e salmão, por exemplo, auxiliam na manutenção da agilidade mental.

Além disso, é importante que a alimentação seja diversa e colorida com variedades de legumes e verduras, para garantir a ingestão de vitaminas, nutrientes e fibras que ajudam a prevenir doenças.

Frutas podem ser consumidas no lugar dos docinhos industrializados ou caseiros, afinal, além de fazerem muito bem para a saúde, também são deliciosas!

 

3) Beber bastante líquido

Você sabia que idosos ficam desidratados mais facilmente e com maior frequência? Sim! Por isso, é muito importante se atentar.

Na juventude, o corpo do ser humano é composto por 80% de água. Conforme o tempo passa, esse índice cai, chegando à casa dos 50% na velhice. Isso significa que se a ingestão de líquidos não for feita de maneira correta, as chances dos velhinhos sofrerem com desidratação são imensas.

A desidratação pode causar uma série de complicações, como queda de pressão arterial, confusão mental, aceleração dos batimentos cardíacos e dor no peito, podendo, inclusive, levar ao coma e até mesmo à morte se não tratada rapidamente.

Para evitar esses problemas, a ingestão de água e outros líquidos, como sucos naturais e chás, é essencial.

 

  • A média ideal de consumo de água por dia fica entre 1,5 a 2 litros, o equivalente a oito copos de água;
  • No idoso a desidratação acontece com mais rapidez, por isso, é importante que a ingestão de água aconteça a cada duas horas ou menos;
  • A sede diminui com a idade, então é importante introduzir outros líquidos e alimentos ricos em água na alimentação, como sucos de frutas, água de coco, leite, sopas, gelatinas, melão, etc.

 

4) Exercitar o cérebro

Exercitar o cérebro é tão importante quanto realizar atividades físicas, afinal, os benefícios são enormes – inclusive para os idosos.

Com o avançar da idade, é normal que a memória falhe e que a sensação de que a cabeça não funciona mais como antes apareça. Porém, a intensidade desses sintomas pode ser reduzida com alguns hábitos que treinam e exercitam o cérebro.

 

  • Jogos como sudoku, damas, xadrez, quebra-cabeças, jogo da memória, caça-palavras e palavras-cruzadas são excelentes opções para exercitar o cérebro e ainda treinar a memória;
  • A leitura, seja livros, revistas ou jornais, faz com que o idoso tenha que focar sua atenção, treinando memórias de curto e longo prazo.;
  • Incentivar que idosos conheçam tecnologias, como computadores, tablets e smartphones, auxilia na redução do declínio cognitivo. Um estudo feito pela Clínica Mayo, nos EUA, revelou que idosos que mexiam em teclados regularmente tinham 42% menos risco de sofrer com perdas de memória.

 

Clínica de repouso e reabilitação de idosos é uma excelente alternativa

 

Localizada na cidade de Vargem  Grande Paulista-SP, a nossa Clínica de Repouso e Reabilitação Portal 8 possui capacidade para comportar e atender até 56 idosos, dos independentes, até aqueles que precisam de mais atenção.

Zelamos pela qualidade de vida dos nossos pacientes, por isso, contamos com uma equipe formada por 40 profissionais altamente capacitados de diversas áreas da saúde, como médicos, enfermeiras, técnicos em enfermagem, auxiliar de enfermagem, fonoaudióloga, psicóloga, nutricionista, fisioterapeuta e cuidadores.

Oferecemos uma infraestrutura completa com total acessibilidade, com áreas de lazer, descanso e quartos equipados para todo o conforto dos idosos.

Conheça mais sobre nossos serviços e entre em contato conosco para mais informações!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
WhatsApp WhatsApp